Colunistas Educação Regina Pundek

A criança e a Crise Ambiental

Escrito por Regina Pundek

A seriedade que se faz necessária para tratar do assunto sustentabilidade parece impedir a conexão com o tema criança.

Há alguns anos, por todo o globo terrestre ambientalistas estão declarando sua preocupação na busca por ações urgentes, que venham de encontro à crise gerada pelo próprio homem. Não há mais possibilidades de fechar os olhos ou os ouvidos e não se comprometer com esta causa. Nosso planeta está gritando urgência.

O modelo de desenvolvimento econômico e social que praticamos não condiz com as atuais exigências do meio ambiente. Mais uma vez constata-se que a propulsão da mudança necessária está na educação.

O ser humano tem sido o problema, mas também pode vir a ser a solução. A conspiração de todos nós, nesta intenção, fará a diferença. Nosso vasto potencial intelectual há de garantir novas respostas.

O modelo educacional deve ser reformulado garantindo que o novo homem seja pleno, inteiro e verdadeiro. Não é utopia! É possibilidade! Os educadores necessitam focar em estímulos ao desenvolvimento de habilidades essenciais para a vida, ou seja, na capacidade de fazer escolhas, de argumentar baseando-se em fatos, de observar acontecimentos, de desenvolver senso crítico e de conscientizar-se do impacto de nossas atitudes nos outros.

Esta nova ação, estes novos desafios atribuídos às crianças precisam do apoio e reforço das famílias. Enquanto nossa sociedade estiver preocupada com competições de mercado e bens de consumo os indivíduos em formação não atingirão as expectativas do novo contexto.

Temos também que ampliar nosso conceito de educação, possibilitando uma maior abrangência da ação sobre o indivíduo, logo, a prática escolar precisa fugir do modelo conteúdista, mas para isto precisa de respeito e apoio das famílias e assim a escola poderá reformular sua proposta. A Educação precisa permitir-se avançar cientificamente, ou não participará da luta para interromper a crise ambiental e estabelecer uma maneira respeitosa de se relacionar com a natureza.

Pais e mães são os educadores mais eficazes. É através do modelo recebido em casa que a criança mais aprende. Nem tanto pela palavra, muito pela ação. Por isso, os pais que devem praticar este modelo da ecoeducação, tanto familiar como profissionalmente; não somente reciclando lixo, economizando energia, reduzindo a emissão de gases à atmosfera e diminuindo o consumismo, como principalmente participando de reflexões e ações dentro da comunidade.

Somos todos responsáveis pelo meio ambiente e precisamos rever nossos hábitos, mesmo os mais inocentes, se quisermos viver num planeta sustentável para todos os seres humanos.

Aquela criança que está na escola, aquela que está nascendo hoje e aquela que ainda está nos sonhos de um casal viverá situações que nós desconhecemos totalmente. Atribuir competência aos profissionais da educação e aos pais é buscar oferecer a todas as crianças um bom lugar para viver.

Não há outra forma de encerrar esta reflexão que não seja: Comprometa-se!

Sobre o autor

Regina Pundek

Escritora, Professora da Educação Infantil, Diretora Pedagógica,Psicopedagoga, Engenheira Civil, Educadora apaixonada pelo respeito ao Ser Humano.

Esposa, mãe, avó. Nascida em Santa Catarina e moradora da Granja Viana há 15 anos.

Deixe um comentário