Crônica

A desmoralização do Judiciário

Escrito por Leitor

Presenciamos neste fatídico domingo de 8 de julho de 2018, uma patética manobra para tentar tirar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da prisão, vale lembrar condenado já em 2ª instância por lavagem de dinheiro e corrupção.

Rogério Favreto, desembargador, ex-militante do PT desde 1991, que foi nomeado para o TRF4 pela presidente Dilma Roussef, já foi procurador do Lula e também compôs o governo de Tarso Genro no Rio Grande do Sul, escancarou deixando explícito que nossa crise é sobretudo moral e ética. O magistrado em questão agiu como militante e não como desembargador, isso deixou visível o quanto o STF tornou-se uma celeuma, mostrando uma vulnerável e absoluta insegurança política.

Foi triste de ver essa articulação partidária e nefasta de autoridades que insultam nossa inteligência, tratando o Brasil e os contribuintes brasileiros como um cativeiro tupiniquim de seres ignorantes, que se curvam aos mandos e desmandos decretados pelos três poderes.

Os três parlamentares que articularam e protocolaram todo o processo para a soltura do ex-presidente (SEXTA APÓS O EXPEDIENTE) são Wadih Damous (RJ), Paulo Pimenta (RS) e Paulo Teixeira (SP). Apenas um breve raio x sobre os três parlamentares:

Wadih Damous é um ferrenho crítico do juiz Sergio Moro e está sempre tentando atrasar a operação Lava Jato, um de seus projetos de lei (4372) visa alterar a delação premiada proibindo a delação de pessoas presas, enfraquecendo assim o poder da Lava Jato e pior, anulando todos os acordos feitos até agora.

Paulo Pimenta foi citado na Lava Jato e na lista da Odebrecht é conhecido como Montanha, de acordo com dados coletados no departamento de propina da própria empreiteira.

Já Paulo Teixeira foi mencionado na operação Porto Seguro (que investigava compras de pareceres técnicos por grupos que privilegiavam empresas privadas) por tráfico de influência, mas sobretudo, ficou conhecido por também perseguir o juiz Moro e criticar a Lava Jato.

O comprometimento de alguns políticos fica nítido em ser muito mais com o projeto de poder partidário do que o bem estar e o futuro da população, as discussões sobre ciência e tecnologia são pífias e beiram o ridículo, mas a troca de acusações em livrar fulano ou ciclano de verdadeiras encruzilhadas de corrupção torna-se a missão desses representantes.

O custo beneficio do nosso congresso é péssimo, temos impostos de níveis suíços e qualidade de serviço no nível vietnamita.

Por Ralph Cardoso   

Sobre o autor

Leitor

Cidadão atuante e também responsável pela produção do conteúdo do Jornal d'aqui.

Deixe um comentário