Colunistas Educação Regina Machado

A EDUCAÇÃO é a causa dos professores e por isso é a causa de todos nós

Escrito por Regina Machado

Estive nessa manhã de terça, 29 de maio, numa manifestação no centrinho da Granja Viana (foto em destaque). Fui como fundadora e conselheira do Projeto Âncora, que mantém uma escola de Educação Infantil, Fundamental e Médio, e como mãe de aluno do Colégio Waldorf Micael. Não sou professora, mas sou educadora e aprendiz, eduquei dois filhos, sou constantemente educada por eles e convivo ativamente em duas escolas.

Éramos umas 50 pessoas, mães, pais, jovens (muitos) e também professores de algumas escolas particulares da região. E dois representantes do Sindicato dos Professores de Osasco e Região.

Para mim está claro que a causa não é dos professores apenas, mas de todos nós brasileiros. Professores desvalorizados, com risco de perder direitos conquistados a duras penas e privados de dignidade jamais poderão trabalhar pela educação, única arma capaz de tirar o Brasil do imbróglio em que vem se metendo governo após governo, ou desgoverno, para ser mais assertiva.

Escola são pessoas. É uma comunidade de alunos, pais, professores e demais funcionários que dão suporte ao fazer pedagógico. Toda escola possui um mantenedor, que pode ser o estado, uma empresa ou uma ONG, como no caso do Projeto Âncora. A educação diz respeito a toda essa comunidade, inclusive ao mantenedor.

Ora, sendo a escola uma comunidade, o problema de um de seus membros é problema de todos. Assim, a melhor análise do problema, as possíveis estratégias de enfrentamento e as posteriores soluções só podem vir desse coletivo.

Se alunos e pais participam como atores, e não como distantes clientes que pagam por um “produto”, com certeza terão uma educação de melhor qualidade. Se funcionários e mantenedores constroem juntos a escola, com certeza apoiarão todas as causas que visam o bem da comunidade escolar.

Não enxergar a educação como responsabilidade de todos nós vem da nossa falha formação política e da quase inexistência de uma prática democrática no país. Nos pegamos lutando lutas isoladas, nos enfraquecemos e não pensamos no país, como fazem muitos políticos que estão pensando mais em si e em seus partidos.

Havia um combinado há anos, que envolvia toda a comunidade escolar e que foi rompido. O sindicato das escolas ao decidir, unilateralmente, não negociar a Convenção Coletiva de Trabalho, desequilibrou as delicadas relações de toda uma comunidade e, assim, colocou em risco a democracia e o futuro.

A causa dos professores é nossa! Vamos resistir juntos!

E viva nossa comunidade local que fez, nessa manhã, jus à fama de ser um celeiro de boa educação.

Sobre o autor

Regina Machado

Mineira de Juiz de Fora. Mãe de dois adolescentes. Arquiteta e Urbanista. Trabalhou com movimentos sociais de urbanização de favelas no Rio e em São Paulo. Trabalha com comunidades na organização de seus espaços físicos, sociais e políticos.
Fundadora do Projeto Âncora junto com Walter Steurer.

Projeto Âncora: http://projetoancora.org.br

2 Comentários

  • Vale lembrar que o ato todo foi organizado pelas professoras e professores do Colégio Viver. E que esse ato contou com a presença em grande maioria de alunos e professores, inclusive os diretores do Colégio Viver. Foi preciso muita luta dos professores para conseguir organizar esse ato, vale o reconhecimento.

Deixe um comentário