Colunistas Daqui Heloísa Reis

Bons motivos para se estudar a História da Arte

Escrito por Heloísa Reis

…“Todo indivíduo que sente a necessidade de uma sociedade humana deve aprender a assumir a própria responsabilidade na preservação da arte tanto quanto na preservação da vida.”
(Tommaso Montanari)

Muito se valoriza os gênios criativos e suas obras de arte ao longo de toda a História.

Van Gogh, Picasso, Da Vinci e muitos ouros são nomes inconfundíveis conhecidos universalmente. E sempre despertam interesse, curiosidade e admiração. Conhecer algo de seu tempo, das influências a que foram expostos pelas circunstâncias particulares de suas vidas e obras, torna-se interessante na medida em que traz clareza sobre as relações entre o artista, seu trabalho e a conjuntura da sociedade de seus tempos.

Pintura-rupestre-pré-histórica.-Patagônia-Argentina.-Autor-desconhecido.-1

Pintura pré-histórica, Cave of the Hands, Patagônia.

Esses são alguns dos bons motivos para que se mergulhe nesse assunto tão profundo e vasto quanto a história da humanidade. O estudo da Arte nos permite chegar às origens do pensamento e dos sentimentos humanos através dos desenhos que os comunicavam muito antes da escrita. Podemos assim conhecer nossas origens através da arte.

Esse conhecimento é parte importante de nossa Cultura, pois somos entes visuais por excelência e o uso dessa linguagem nos acompanha por todo o passar do tempo, acrescido das modificações ocorridas com todas as descobertas ao longo da nossa História.

Ligada diretamente à cultura particular de cada povo e de cada época, a História da Arte registra as criações mais notáveis permitindo assim a recriação do presente. Muitos desafios foram superados e muitos valores foram marcados pelos artistas que, de certa forma, ousaram transformar seus pensamentos, suas visões ou sentimentos em objetos que ficaram para a posteridade. Hoje essas obras nos trazem informações, provocam admiração e nos inspiram para que enfrentemos os novos desafios do nosso tempo.

michelangelo

Michelangelo Pistoletto, instalação O Etrusco (1976)

O conhecimento é ponto inicial e básico para que se produza qualquer coisa, e com a arte não é diferente. Fruir, reconhecer e saber sobre as obras de arte eternizadas pela História levam, por consequência, à valorização da preservação do patrimônio cultural local, permitindo comparações com o de outras localidades em seus tempos.

Além disso, o conhecimento é o primeiro passo para a emoção pois, em geral, gostamos e preservamos aquilo que conhecemos e cujo valor faz sentido para nós.

Fazer arte hoje exige que se conheça a produção artística anterior até para inovar-se seja na expressão seja na técnica.

Em todas as áreas de atuação, conhecer bem a História da Arte faz reforçar, enriquecer e incentivar a criatividade, ajudando na superação e na compreensão da diversidade.

Além disso, as atividades artísticas criativas, devido ao uso de uma linguagem de alcance universal, favorecem ao ser humano intuir o sentido da integração e da colaboração, permitindo o rompimento de barreiras de comunicação e incentivando a capacidade de criação e transformação.

helo2

Gustave Dorè, Rosa Celestial

Conhecer e fazer. Teoria e prática. Fórmula infalível para qualquer atividade humana, especialmente para a Arte.

OBS.: A autora, em Março de 2017, estará facilitando o curso “ História da Arte com Arte” na Galeria de Arte e Fotografia Solange Viana. Mais informações aqui.

Sobre o autor

Heloísa Reis

Artista visual e arte-educadora, pesquisa a linguagem da arte contemporânea e sua importância enquanto instrumento de transformação. “Pinta e borda”, constrói objetos e gosta de ler e escrever. Atua em grupos como MDGV, Transition da Granja e Grupo ArteJunto procurando aprender com eles a arte de refletir a cidadania.
www.encontrosheloisareis.blogspot.com

Deixe um comentário