Colunistas Daqui Geni Alburquerque

Bons tempos…

Escrito por Geni Alburquerque

Dificilmente vou esquecer nossa peregrinação por esta região até encontrar o lugar perfeito para o nosso Lar-doce-lar.

Terrenos disponíveis em todos os lugares com a mesma característica, muito espaço, verde por todos os lados, ar puro, silêncio, contudo sem qualquer infraestrutura.

Viver em um local bucólico, entre o urbano e o rural foi sinônimo de desprendimento, vida alternativa, desapego, apaixonado pela natureza, coisa de bicho-grilo, durante muito tempo.

Já naquela época, a Raposo teimava em impor seus próprios limites, horários, surpresas agradáveis e na maioria das vezes, muito desagradáveis.

A Rodovia sempre teve a arrogância de se apresentar, como se tivesse vida própria, uma vez que ainda é engolidora de vidas, muitas inocentes, por conta da imprudência dos presunçosos motoristas.

Esta estrada de rodagem, cada vez mais adaptada ao meio urbano, sempre insistiu em definir quais horários se tornariam mais generosos para que nos sobrasse tempo para usufruir de nossa invejável qualidade de vida.

Sonhos, expectativas, ideais, demandas e esperanças moldam nossas escolhas e se eu fui muito feliz com nossa opção, atualmente sinto compaixão por aqueles que se entregam aos devaneios de que por aqui ainda é possível ter um sentimento de bem-estar.

Observo com tristeza, aqueles que trafegam pela região nos poucos dias em que a Raposo parece tão amigável, rápida e eficiente em mostrar que está passando atualmente por obras de urbanização, com olhar esperançoso em conhecer aquele lançamento que cabe perfeitamente em seu orçamento, sonhando o aumento do valor do mesmo caso tudo não ocorra como o esperado.

Gananciosos especuladores de plantão vendem a ilusão do paraíso idílico, de grande potencial de futura valorização, porque o lucro precisa existir agora.

Para não cair nessa falácia, preste muita atenção em alguns detalhes, ingenuamente expostos no próprio folheto que o trouxe até aqui.

Atente para as opções que a prefeitura tem apresentado para que você conquiste o seu lugar na Raposo:

jornaldaqui.com.br/servico-mal-feito/
jornaldaqui.com.br/operacao-tapa-buracos/

Tempo: Calcule e compare de quanto tempo precisará para chegar ao trabalho, e ao voltar, usufruir de seu novo lar, assim como chegar até a escola de seus filhos e ao voltar, poder curtir sua companhia.

Este teste é muito fácil de aplicar, realizando o novo percurso de seus hábitos como se já habitasse a região.

Observe ao visitar o stand de vendas se a área está literalmente careca, desprovida do verde, porque este foi devidamente suprimido para recebê-lo com um modelo decorado, em que a metade real dos móveis se apresenta dando aquela impressão de muito espaço disponível e questione sobre o tempo de validade e a qualidade dos materiais empregados na construção, porque o barato sempre custa muito caro quando acaba a garantia.

foto 2
E se o stand de vendas estiver em outro local, cuidado, muito provavelmente, mais uma grande área será desmatada assim que todos os lotes ou casas forem comercializados.

Infraestrutura: Educação, Saúde, Segurança, Água, Internet, Coleta e tratamento de esgoto, Mobilidade e a lista se alonga de acordo com suas necessidades, contudo se faz necessário muita determinação para saber o que está disponível de fato e como a prefeitura cuida da cidade e de seus habitantes.

Contato com a Natureza: Este é o item mais importante para quem busca a região, entretanto, é o que está desaparecendo mais rapidamente da paisagem.

Se a planta baixa mostra uma casinha tipo “Caixa-de-fósforos”, com apenas alguns centímetros de distância com seu vizinho, com espaço gourmet privativo em que você só vê as paredes, que seu carro se configura como uma paisagem ao abrir a janela e para que o segundo carro faça parte do contexto, aquele vaso que consta da imagem ilustrativa, que será seu único contato com o verde daqui, tenha que desaparecer, você terá a certeza de que além de ser confinado a um espaço parcelado, jamais conviverá com a nossa biodiversidade.

Aquela área verde que ilustra o folheto com copas de exuberantes árvores, que o folheto insiste em alardear que você estará cercado de muito verde, nada mais é do que o limite entre o condomínio e área de manancial, que cederá seu lugar para que o esgoto e águas pluviais poluam e obstruam riachos de água cristalina, sendo substituída por gramados em que você e seus futuros vizinhos, com certeza, arcarão com os custos de manutenção embutidos no valor do condomínio.

Qualidade de vida, biodiversidade e desenvolvimento

Se você busca o silêncio, sinto muito informar, mas este item imprescindível de qualidade de vida está praticamente extinto, porque estes mesmos empreendedores, incorporadores e gestores, ansiosos para conquistarem o seu bolso, ignoram a Lei do Silêncio, promovendo autênticas torturas sonoras durante a noite, independente de serem nos finais de semana ou feriados prolongados.

Finalmente, se no folheto estiver escrito que você não terá necessidade de ir para São Paulo, ignore o empreendimento por ser uma grande mentira porque o emprego continua lá, aqui ainda é uma cidade-dormitório.

Houve um tempo em que futuros moradores se aproximavam dos que já estavam na região, entre um café e um pedaço de bolo conversavam os prós e contras de viver por aqui.

Atualmente, o Jornal d’aqui ilustra, através de seus leitores, nossas infelizes agruras e as redes sociais, mais especificamente o grupo Granja Viana problemas e soluções, mostra com absoluta clareza nossas dificuldades e temos também o CONSEG, que heroicamente instrui e adverte quanto a dificuldade em viver com segurança por estas bandas.

Se sob o seu ponto de vista, parece incompreensível que um pequeno grupo se dispõe determinadamente a degradar e desvalorizar a região, que possui um incrível potencial de valorização a médio e longo prazo, apenas porque possui visão estreita baseada em lucro reduzido a curto prazo, procure pelos destemidos otimistas e posso lhe assegurar que existem muitos por aqui.

Os visionários plantam árvores nativas da Mata Atlântica reduzindo a poluição ao seu redor, promovem a possibilidade de contato social através da Ecofeira, participam ativamente para a solução dos problemas e aguardam pacientemente a valorização de seus imóveis.

Estes ainda serão capazes de lhe mostrar onde ainda dá para viver bem e onde está sendo desvalorizado.

Sobre o autor

Geni Alburquerque

Autodidata multidisciplinar. Sócia-proprietária da Taúna e consultora em paisagismo ambiental e jardinagem.

Blog: qualidadedevidaejardim.blogspot.com.br

Facebook:
• https://www.facebook.com/qualidadedevidaejardim
• https://www.facebook.com/Paisagismo-e-jardinagem-por-Geni-Albuquerque-393059724187938

Deixe um comentário