Cultura e lazer Redação Território

“Borders” da Granja expõem em Buenos Aires

Pavões - bordado Thereza Avila
Escrito por Redação
Giuli Sommantico, Mariángeles Blanco, artista e galerista, Fátima Marinho e Thereza Ávila na exposição

Giuli Sommantico, Mariángeles Blanco, artista e galerista, Fátima Marinho e Thereza Ávila na exposição

O que acontece quando três artistas granjeiras se encontram durante três anos em um espaço para bordar? Uma exposição em Buenos Aires! As “Borders”, como resolveram batizar o trio, Thereza Ávila, Fátima Marinho e a argentina Giuli Sommantico, começaram a bordar há três anos numa Galeria de Arte e a afinidade entre chás e bate-papos e experimentos evoluiu até a ideia de criar um projeto mais conceitual, com a criação de bordado em novas plataformas.

“De repente porque não deixar a fotografia, a ilustração falar por si e só usar o bordado para conversar com a obra e realçar e colorir suas melhores qualidades? Assim nos dirigimos para o cruzamento de várias artes, experimentando com sucesso os materiais que a arte usa”, conta Giuli, que também é fotógrafa, gestora cultural e jornalista.

Bordade em pano de chão, por Giuli. Releitura da obra de Vaneskeheian

Bordado em pano de chão, por Giuli. Releitura da obra de Vaneskeheian

Definida a concepção, as três passaram por um processo intenso de pesquisa para selecionar pontos de bordado e materiais. O resultado surpreende pela beleza e o inusitado. Foram criadas peças bordadas em cerâmica, papel washi*, pano de chão, papel, papelão, acrílico, melamina, EVA, cortiça, entre outros materiais. Isso tudo em um clima de muita colaboração estética, com sugestões nos trabalhos de uma e outra.

Já as temáticas, foram livres: Thereza escolheu pavões, Giuli fez uma releitura das obras do artista plástico Martín Vaneskeheian e Fátima temas diversos. Com o resultado, Giuli mostrou a uma galerista em Buenos Aires que as convidou para fazer uma exposição. No processo de divulgação, a Embaixada Brasileira se interessou pelo evento e também deu apoio.

Intitulada “Exposição do Coletivo Borders”, as peças bordadas pelo trio foram expostas entre 13 e 21 de julho, no Atelier Aguirre em Buenos Aires. Simultaneamente, foi realizado um Workshops ministrado pelas artistas, no mesmo local.

“Foi uma experiência muito legal, especialmente porque estava em meu país. Muitas pessoas participaram das oficinas, muitas delas, brasileiras. Acredito que todas crescemos com a receptividade que teve a exposição, nos inspirando para novos projetos e workshops”, comemora Giuli.

O que é papel washi?

Flora brasileira, em papel washi, por Fátima Marinho

Flora brasileira, em papel washi, por Fátima Marinho

Trata-se de um papel especial, feito a partir de fibras dos arbustos Kozo, Gampi e Mitsumata, e cuja produção continua até hoje utilizando técnicas milenares. Fabricado atualmente somente em São Paulo e no Japão. Possui linhas de papéis fabricados à mão ou industrializados para diversos tipos de aplicação, tais como: Restauração de livros e obras de arte, Decoração, Impressos, Artes Plásticas e Artes orientais.

Quem são as Borders?

Thereza Ávila é artista têxtil, costureira, bordadeira de família, além de ser psicóloga há muitos anos na Granja Viana e em São Paulo.
Fátima Marinho é artista têxtil, arte terapeuta e neuropsicopedagoga.
Giuli Sommantico, argentina “adotada” pelos granjeiros há mais de seis anos, é gestora cultural, além de jornalista, fotógrafa e artista têxtil.

Por Fabíola Lago, Jornalista, colaboradora do Jornal d’aqui.

Foto em destaque: Pavões – bordado de  Thereza Ávila.

Sobre o autor

Redação

O Jornal d'aqui digital é uma prestadora de serviços que atua com comunicação na região da Granja Viana, Cotia (SP). Nasceu originalmente em 1979 como mídia impressa e assim atuou durante 35 anos. O formato atual surgiu a partir de um movimento de amigos/leitores inconformados com o encerramento de suas publicações.

Deixe um comentário