Colunistas Gastronomia Maria José da Silva

Creme de cebola

Escrito por Maria José

Serve seis pessoas em porções generosas

Ingredientes:
• 9 cebolas médias
• 3 cubinhos de caldo de galinha
• 5 colheres de sopa de farinha de trigo
• ½ colher de café de pimenta do reino moída
• Sal o suficiente para dar o tempero que desejar
• 300 g. De manteiga
• 2 litros de leite
• ½ litro de creme de leite fresco (se não encontrar, use uma caixinha de creme de leite uht)

Modo de fazer:
Descasque as cebolas, cortando-as em fatias finas.

Numa panela grande, de preferência de fundo grosso, derreta a manteiga.
Coloque as cebolas, mexendo com uma colher de pau para serem envolvidas pela manteiga.

Deixe as cebolas cozinhar até que fiquem murchas, mexendo para não queimar e indo até o ponto de ficarem levemente douradas. Isso leva cerca de meia hora.

Acrescente os temperos e o caldo de galinha, mexendo bem.

Coloque a farinha de trigo. Espalhe bem e mexa com a colher de pau para que não empelote. Deixe cozinhar para engrossar, por uns dois ou três minutos.

Separadamente, ferva o leite o coloque na panela continuando a fervura por mais cinco minutos.

Leve ao liquidificador batendo bem para que as cebolas se desmanchem por completo.

Volte para a panela, acrescentando o creme de leite. Mexa bem. Nesta altura a sopa já deverá ter tomado a consistência de um creme. Se isso não acontecer, espalhe um pouco mais de farinha de trigo e mexa até que ela engrosse ao ponto de creme. Prove para ver se a quantidade de sal está adequada.

Sirva a sopa bem quente, acompanhada de croutons e de queijo parmesão ralado e de torradas preparadas com manteiga e queijo parmesão.

Sobre o autor

Maria José

Maria José da Silva é chef de cozinha há 16 anos. Desde 2004, comanda a cozinha do Chez Maria Restaurante onde é proprietária juntamente com seu marido Guilherme Ribeiro. Nasceu e foi criada numa fazenda no interior de Pernambuco. Em São Paulo, trabalhou 4 anos na confeitaria Brunella. É fortemente influenciada pelo consultor de gastronomia Herry Prescot.

Deixe um comentário