Colunistas Ligia Vargas Moda

Fernando Crivelenti – O Prata da Casa

Escrito por Ligia Vargas

21903486_1676961938982621_707255854_nO Fernando é um arquiteto e designer que mora na Granja. Sua casa foi reformada (transformada) por ele e segue princípios de sustentabilidade. É uma pessoa que quando alguém conhece gosta na hora. Tem um senso de humor apuradíssimo, é muito divertido. Mas além de tudo isso o Fernando é o “Prata da Casa”. Tem o Studio Vero, oficina de design e display aonde cria peças utilitárias em madeira e displays para as maiores e melhores marcas do país. Ele gera beleza e riqueza em Cotia e na Granja.

1. Fale de si.
Sou Fernando Crivelenti, designer e empresário. Morei na Granja nos anos 1970 e, em 1994, quando me casei com a Sílvia (Sílvia Rocha, poeta e jornalista), escolhemos sair de São Paulo e nos mudar para a Granja.
Há 20 anos, fundamos o Studio Vero , um estúdio de design e marcenaria que são integrados. Começamos com criação e fabricação de mobiliário residencial, depois partimos para móveis corporativos, criamos presentes corporativos e faz 15 anos que nosso foco principal são displays para pontos de venda, quiosques para shoppings e mobiliário e ambientação de lojas. Nós adoramos a Granja e, aqui, criamos, juntos, nossos cinco filhos: dois do meu primeiro casamento, uma do primeiro casamento dela e dois do nosso casamento.21849226_1676962272315921_1819716170_n

2. Fale da sua relação com a moda.
Olha, eu tenho uma forma muito livre e informal de me vestir. Gosto de roupas confortáveis e, como sou do tipo calorento, quase não uso roupas de inverno. Uso camisa para trabalhar e, devido ao estilo do meu trabalho, posso usar jeans e sapatênis, por exemplo. Como sou designer, gosto de observar como as pessoas se vestem, as tendências da moda, as cores e as combinações. E também gosto muito de design de interiores. Acho que há um diálogo muito interessante entre design de interiores e design de produto, meu trabalho. Tenho um filho, o Felipe, que trabalha com moda há 6 anos, e mora em Milão. Gosto muito de conversar com ele sobre moda, ver as peças e acessórios que ele cria. Sou fã das peças que ele cria e do modo estiloso como ele se veste! Ele fez um curso de consultoria em moda no Istituto Europeo de Desing, de Milão, e acaba de lançar um site.

3. Qual sua roupa ou acessório favorito e por que? 

22053148_1683945534950928_2076789140_nAdoro usar bermuda! Como jogo tênis duas vezes por semana, também22119221_1683945648284250_1402815731_n gosto muito das minhas roupas esportivas. Tenho muitas camisetas e também gosto de camiseta polo. Curto muito usar cores: camisa rosa, amarela, tenho camisetas polo de várias cores e tenho um fraco por camisa xadrez! Mas a minha peça favorita é um casaco de couro preto que ganhei do Felipe, cujo design é dele. Nossa, que casaco lindo! E como fico feliz – e orgulhoso – quando o visto!

22093615_1683945801617568_338861113_n

4. Como faz compras? Sai à procura de algo específico ou vê o22127241_1683945881617560_2116602181_n que tem nas vitrines e decide na hora?
Não temos o hábito de sair para ir às compras. Eu acabo fazendo compras quando viajamos, porque temos mais tempo de ver vitrines, experimentar peças com calma e, também, os preços são mais convidativos. Sempre achamos promoções incríveis em viagens!

22093724_1683945754950906_634900315_n

5. Qual a peça de vestuário, roupas ou acessórios, que nunca usaria e por quê?
Eu não gosto de terno e gravata. Principalmente gravata. Como já disse antes, eu tenho um jeito muito informal de ser. E muito livre também. Mesmo quando vou a casamentos, prefiro um blaser preto com uma camiseta preta, por baixo, a vestir camisa social e gravata. Acho que meus filhos mais novos nunca me viram de gravata!

21850204_1676962128982602_362316338_n

Sobre o autor

Ligia Vargas

Moradora da Granja Viana desde 2003. Formada em artes plásticas, é fotografa, tendo participado
de diversas exposições aqui e em SP. Em 2014
criou com uma sócia a marca Frau Perolina, confecção de roupas e acessórios masculinos e femininos. Trabalha também peças com o conceito "no gender" ou unisex em saias, kilts e camisetas.
A marca faz uso de tecidos naturais, em sua maioria. Privilegia o conforto com estilo retrô.

Deixe um comentário