Daqui Heloísa Reis

Há Arte?

Escrito por Heloísa Reis
“Há Arte como há Ser e há Tempo”
Martin Heiddegger

A Arte sempre foi o reflexo da sociedade nos seus aspectos mais fundamentais e no seu tempo. Feita esta afirmação, resta alguma dúvida ? Sim, t o d a s .

Como ficar neutro ?

Cultura e Arte , ontem e hoje, têm limites?

A visão idealística é possível para todos ?

Há crenças arraigadas de valor e contextualização?

O que é sucesso e o que é fracasso?

Como desligar o processo do resultado ?

Os conflitos entre os diferentes níveis de visões pessoais podem resolver-se pela arte?

Como a sociedade construída sobre ideais de poder, finanças e exclusões vê a arte?

Alienação e imediatismo conduzem a que forma de entender a arte?

Produção, competição, participação global, sucesso financeiro partem de alguma reflexão compatível com as identificações pessoais?

Pode a arte incentivar amizade, sentido de comunidade e reconhecimento das individualidades?

Há possibilidades novas de colaboração em comunidade?

Experimentação e invenção do pensamento podem levar à reinvenção da realidade?

Como não temer o vazio em estruturas concretas?

Como conter a ansiedade com a confiança?

Como acreditar na construção sobre a desconstrução ?

Como recriar valores ?

Quais são os valores sobre os quais a arte deve fundar-se?

Que responsabilidades estão implícitas?

Quais as opções ?

Valores de liberdade que elevaram a arte aos seus patamares inventivos podem ser renegados?

Como podemos aceitar retrocessos e censuras fundamentalistas?

A arte como profissão pode ultrapassar estigmas, interesses e privilégios?

Que jogo é esse de poder e desigualdade?

Qual a missão do artista? Do galerista? Do profissional de cultura?

Há respostas além da necessidade do encontro ?

Profundas tristezas podem ser substituídas por novos caminhos ?

Sim, sem reivindicações… apenas s e n d o, igual a Gandhi, em seu tempo.

Sobre o autor

Heloísa Reis

Artista visual e arte-educadora, pesquisa a linguagem da arte contemporânea e sua importância enquanto instrumento de transformação. “Pinta e borda”, constrói objetos e gosta de ler e escrever. Atua em grupos como MDGV, Transition da Granja e Grupo ArteJunto procurando aprender com eles a arte de refletir a cidadania.
www.encontrosheloisareis.blogspot.com

Deixe um comentário