Colunistas Esporte Gabriel Medeiros

Muito além do jogo

Escrito por Gabriel Medeiros

Ultimamente tenho me encantado cada vez mais com a grandeza do esporte e de como um simples jogo pode ser algo tão amplo quanto um caminho de integração entre pessoas.

Para os brasileiros é fácil perceber como o futebol foi capaz de criar uma identidade cultural, especialmente após o tricampeonato mundial de 70, época de ouro da nossa seleção. Hoje, o apelido de “País do Futebol” é reconhecido em todo o mundo chegando até a atrair imigrantes para o Brasil em busca de realizar o sonho se tornar um atleta profissional.

Em meio a toda essa crise e conflitos de imigrantes, fui pesquisar como esses casos estão repercutindo no futebol e como o esporte interfere na vida dessas pessoas.

Vi uma reportagem muito bonita da Globoesporte.com, que retrata a situação de 4 jovens imigrantes no Brasil falando sobre o futebol como um refúgio e como uma esperança. São pessoas que largaram tudo o que tinham em seu país e mudaram de vida em busca de oportunidades no esporte. Caso tenha interesse, acesse a reportagem AQUI.

Desses casos, uma é uma garota e os outros três são garotos. A garota saiu da Venezuela por conta da situação política de seu país, onde jogava em um time profissional. Já entre os garotos, um deles deixou a família em Guiné após seu pai ser preso e veio tentar realizar o sonho de se tornar jogador profissional. Outro garoto saiu do Congo também por conta de problemas políticos envolvendo sua família e disse que ao ver o visto brasileiro em seu passaporte ficou sem comer por dois dias de tanta felicidade. Esses atletas escolheram o Brasil por conta de sua abertura, por ser um país acolhedor.

Foto 1Outra ação muito bonita envolvendo imigrantes foi uma realizada no final de setembro de 2015: o Santos FC acolheu refugiados sírios em uma manhã, com direito a refeição em seu centro de treinamento, visita ao seu memorial de conquistas e ainda ingressos e camisetas do time para assistir ao jogo daquela manhã. A ação foi realizada em parceria com a ONG Oasis Solidário, Associação de Assistência a Refugiados no Brasil, e foi considerada um ato de solidariedade. Veja na imagem ao lado a alegria do menino sírio após o gol.

O time de Pelé também chegou a causar um cessar-fogo na Nigéria, pausando a Guerra da Biafra que se estendia por dois anos. Para que todos pudessem acompanhar a partida daquele time que encantava o mundo, o tenente decretou feriado naquele dia. Vamos admitir que um cessar-fogo acontece apenas em ocasiões extremas.

Foto 2Mas, o que mais me motivou a escrever sobre estas ocasiões foi a imagem que circulou nas redes sociais do menino afegão de 5 anos, Murtaza Ahmadi, que ganhou uma camiseta improvisada de seu pai. A camiseta era uma sacola plástica listrada com as cores da Seleção Argentina, na qual o nome do craque Messi e o número 10 foram desenhados na parte de trás. Com a repercussão da imagem, Lionel Messi marcou um encontro com o garoto, que também foi presenteado pelos dirigentes da Federação Afegã de Futebol com o uniforme do Barcelona, além de jogar por alguns minutos com a seleção juvenil do país.

Estes fatos citados são só alguns exemplos de como o esporte está presente em nossas vidas. E é bom lembrar que além destes casos, o esporte é também um meio de melhoria na saúde, algo que pode tratar o stress, a raiva, doenças.

Uma prática esportiva é muito mais do que um jogo, é algo que interfere na sociedade profundamente.

Recentemente, o surfista Adriano de Souza disse, em entrevista, que começou a surfar após ganhar uma prancha de 30 reais de presente do seu irmão, o que, na época, era muito dinheiro para sua família gastar. Hoje o surfista é o atual campeão mundial de Surfe.

As histórias são muitas.

Imagine se todo o dinheiro envolvido nesses esportes e patrocinadores fosse minimamente destinado à criação de órgãos qualificados de suporte ao atleta, refugiados, crianças, idosos…

Acho que diversas guerras poderiam ser paradas, não?

Sobre o autor

Gabriel Medeiros

Granjeiro,18 anos, cheio de sonhos e planos para a Granja Viana. Sempre estudou em escolas da região e este ano presta vestibular para Educação Física. Foi voluntário na área de esportes do Projeto Âncora. Criador e é administrador e autor do blog “Tá Por Dentro?”

http://blogtapordentro.webnode.com

Deixe um comentário