Colunistas Débora Vieira da Silva Saúde

Novas alternativas para o tratamento da queda de cabelos

esps-queda-de-cabelo-690x410
Escrito por Débora Vieira

A queda excessiva dos cabelos é uma fonte de preocupação para homens e mulheres. Como existem várias causas determinantes, é importante a avaliação pelo médico dermatologista, para diagnosticar o quadro clínico e determinar o melhor tratamento.

A queda de cabelo pode ser por herança genética (alopecia androgenética, também conhecida como calvície); é um problema que pode levar à perda total ou parcial dos cabelos. Embora seja mais comum entre o sexo masculino – estima-se que 80% dos homens com mais de 80 anos sofram do problema – a alopecia androgenética também pode afetar as mulheres. Nos homens, a perda de cabelo tende a se concentrar no topo do couro cabeludo. Nas mulheres, é mais difusa.

A alopecia androgenética é desencadeada por inúmeros fatores de ordem genética e hormonal. Também está associada ao excesso de hormônios andrógenos (masculinos), e por isso pode ser um problema para as mulheres, que sofrem diversas alterações hormonais ao longo da vida. Embora seja um quadro de origem genética e hereditário, a existência de um ou mais casos na família não significa que, necessariamente, a calvície se manifestará.

Outra causa importante é a má alimentação. Os fios de cabelo têm um crescimento contínuo; então se há falta de substrato para a sua formação, a queda aparecerá. Para ter cabelos saudáveis é importante a ingestão de verduras, frutas e legumes (fontes de vitaminas e sais minerais) e não só de proteínas.

O stress físico (internação hospitalar, cirurgias) ou emocional também são determinantes importantes, assim como doenças sistêmicas (afecções da tireóde ou auto-imunes).

A boa notícia para quem sofre com a perda de cabelo é que há inúmeras opções de tratamento. Para saber a mais adequada, é necessária uma avaliação dermatológica. Existem tratamentos tópicos (xampus e loções para uso no couro cabeludo) e sistêmicos (comprimidos por via oral).

Mais recentemente temos mais dois aliados eficientes: fontes de LED e o microagulhamento.
O LED é um tipo de luz que propicia o aumento da velocidade de crescimento dos fios, interrompe a queda e melhora a saúde dos cabelos.

O microagulhamento é um método que por micropunturas no couro cabeludo, determina a liberação de fatores de crescimento locais com aumento progressivo da densidade capilar.

Nos casos mais acentuados, o transplante de cabelo pode ser uma opção.

Atenção

Não se automedique para tratar a perda de cabelo, pois pode colocar sua saúde e sua beleza em risco. Para saber o tratamento mais indicado, procure um dermatologista, o médico especialista em pele, cabelos e unhas.

Sobre o autor

Débora Vieira

Formada pela Faculdade de Medicina da USP e com Residência Médica no Hospital das Clínicas da FMUSP. Desde 1995 na Granja Viana. Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia Membro da AMB,SBD e SBCD.

Deixe um comentário