Autoconhecimento e Espiritualidade Colunistas Tânia Guerino

O Poder da Palavra

Escrito por Tânia Guerino

Assim como o pensamento (energia elétrica), o sentimento (energia magnética), a palavra também é fonte de energia e portanto também cria e molda nossa experiência.

Cada situação ou experiência é o produto de uma palavra falada e que talvez ainda se fala, repetidamente, para si mesmo.

junho 2

Quando o que está por trás de palavras emitidas não é compatível com o nível de consciência das palavras expressas, cria-se conflito, ruptura e até uma divisão na consciência.

É muito melhor quando a palavra reflete as intenções negativas e motivações do Eu Inferior, apesar de não serem positivas, por se tratar de uma admissão franca e verdadeira e não mascarada.

junho 3

Existe uma ligação direta entre o poder da palavra e o valor atribuído a si mesmo, pois eles caminham juntos.

Como se pode falar a palavra de fé e merecimento no próprio desenvolvimento, se secretamente acredita-se não ter nenhum valor e, portanto, nenhum direito de vivenciar a satisfação?

junho 4Mesmo que se tente na superfície dizer a si mesmo – agressivamente – que merece satisfação, paz de espírito, prazer e abundância e no fundo temer nunca conseguir nada disso em função da não valorização ou inferioridade, o não merecimento falará mais alto.

Dessa forma, ao mesmo tempo em que se fala a palavra correspondente ao que se deseja, ao que todo ser humano deseja e deveria vivenciar, em outro plano se diz a palavra contrária.

junho 5

Somente através da honestidade, da coragem da autorrevelação e purificação se conseguirá a autoestima inicial suficiente para expor a crença devastadora da própria falta de valor.

Outro aspecto importante é que o poder da palavra não é menor quando ela não é verbalizada.

A palavra que não é dita pela voz, que não é ouvida pelo ouvido externo, não é necessariamente menos poderosa que a palavra falada, pronunciada com as cordas vocais.junho 6

Muitas palavras faladas com as cordas vocais têm muito menos energia, porque não estão baseadas em convicções fortes.

Existem muitas palavras poderosas que são ditas com os pensamentos que estão escondidos, que não estão claros para a consciência observadora, mas que contêm tanta energia a ponto de produzir seus efeitos.

É preciso enunciar claramente os sentimentos, as convicções, as ideias que precisam ser examinadas, quanto sua verdadeira natureza e seu efeito sobre a criação de vida, o comportamento, a receptividade e percepção não prejudicada da realidade – de si mesmo, dos outros e da vida.

O pensamento é o conteúdo. A palavra é o seu começo, sua expressão, sua manifestação na fase inicial.

Um pensamento sem a palavra seria impossível, não teria sentido, não poderia existir.

A palavra falada é o produto final do pensamento que está por trás dela.

Esse produto final – a palavra – não é necessariamente consciente, articulada ou verbalizada. Essa é a questão que dificulta a relação de efeitos desagradáveis e incompreensíveis na vida.

Um pensamento pode ser revisado, rejeitado e debatido. A palavra já é o produto final disso e, portanto, o princípio da criação.

A criação positiva na vida se baseia em palavras ditas através da verdade do coração.
foto TaniaTexto fundamentado na palestra 233 da metodologia Pathwork

 

Sobre o autor

Tânia Guerino

Vive e trabalha na Granja Viana há mais de 20 anos, é Helper em Pathwork - uma metodologia de autoconhecimento que atua nos níveis físico, mental emocional e espiritual. É bacharel em Comunicação pela Faculdade Anhembi Morumbi, com larga experiência no mercado publicitário. É reikiana nível II e Instrutora de Liangong - ginástica terapêutica Chinesa.

Saiba mais em: http://taniabrascaguerino.blogspot.com

Deixe um comentário