Colunistas Crônica Thomas Hahn

Parada Gay

Escrito por Thomas Hahn

A última parada gay em São Paulo trouxe, como tema principal, o destaque para o fato de vivermos num Estado Laico. Não entendi muito bem do que se tratava. Procurei amigos, alguns mais voltados para a sociologia e a política, mas não obtive maiores esclarecimentos. Fiquei na mesma.

Minha impressão é que, de alguma forma, o estado deve intervir nos pensamentos e pronunciamentos de cada cidadão, proibindo qualquer externalização  de um pensamento homofóbico.

Se foi isso, cometeram um erro fundamental: o estado é, sim, laico; mas o cidadão não é. Cada um de nós tem o direito de pensar e falar de acordo com suas convicções pessoais – direito este garantido (por enquanto) pela Constituição que nos rege.

Nossas convicções nascem de uma diversidade de fontes, e, somadas, formam nossa cultura pessoal. Nossas leis são escritas e votadas por indivíduos, não pelo Estado; e indivíduos, repito, não são laicos.

Mas – se me permitirem um pouco de leveza – há um perigo ainda maior na insistência na laicidade do Estado. A grande maioria de nossos feriados é religiosa. Pense no Natal, Sexta-feira Santa, Corpus Christi, Nossa Senhora da Aparecida, Santa Padroeira da cidade – e agora imagine se a bancada evangélica decide questionar sua constitucionalidade!

Levada ao STF, a questão pode ser decidida de forma sumária, tirando do povo brasileiro uma de suas principais características: o amor pelo feriado. Nós vivemos de olho no calendário.

Ano bom é aquele em que os feriados caem, no mínimo, numa segunda ou sexta-feira. Excelente, então, é aquele em que caem numa terça ou quinta: fim de semana de quatro dias!

Se mexerem muito neste vespeiro teremos, a curto prazo, uma multidão protestando nas ruas como nunca se viu. Comparando, Caracas de hoje será fichinha.

E se alguém se lembrar, e disseminar pelas redes sociais, que quem provocou esta hecatombe foi o pessoal do LGBT, temo que suas justas reivindicações sofram um atraso brutal, medido em gerações.

Juizo, gente!

Sobre o autor

Thomas Hahn

Filósofo de botequim, autor consagrado (por ele mesmo) de um livro, colaborador, com muita honra, desde o primeiro número do Jornal d'aqui e morador da Granja Viana desde 1973.

Blog: www.avistadobanco.wordpress.com

Deixe um comentário