Colunistas Crônica Thomas Hahn

RPP

Escrito por Thomas Hahn

RPP é a sigla, por mim criada, que significa Ruim, Pior ou Péssimo – justamente o trio de opções políticas que o Brasil tem diante de si.

Ruim é tudo ficar como está até as eleições de 2018. Um juiz pede vistas do processo no STE, nada se resolve. Temer continua manquitolando na Presidência, as reformas meia boca vão sendo tocadas, se gritar ladrão não sobra um, meu senhor, alguma coisa se faz para viabilizar o pleito, acabam as coligações partidárias nas eleições proporcionais, inventam-se algumas maneiras de financiar as campanhas sem que o escracho seja excessivo, coisa e tal. Passeatas serão diárias, mas não significarão muito. O PIB avançará lentamente, depois pega um impulsinho, não se melhora quase nada, mas também não se piora.

O Pior é Temer ser cassado pelo TSE. Aí o Maia assume a presidência interina, com vistas a assumi-la de vez. Ninguém sabe como organizar a votação indireta – se é Senado e Câmara reunidos, ou um de cada vez, ou se a gente decide no palitinho. A única certeza que se tem é que são altíssimas as probabilidades de que o novo presidente esteja encalacrado até as raízes do cabelo de Donald Trump no Lava-Jato. O assalto aos bolsos será em ritmo de Baile da Ilha Fiscal, de È Hoje Só, Amanhã Não Tem Mais.

O Péssimo, então, é a realização das Diretas Já, sem partidos estruturados fora das grades da cadeia, sem financiamento compatível com a lisura que um pleito merece, sem lideranças válidas – o ex-presidente Lula só por ser o nome mais conhecido – e um monte de aventureiros se apresentando – enfim, um horror que começa com uma alteração açodada da Constituição, e prossegue ladeira abaixo.

Bem, são estas as alternativas apresentadas ao sofrido povo brasileiro. Já vi este filme antes, e não vale a pena ser visto de novo. E para você não perder tempo na fila do cinema, o final é uma apoteose em verde-oliva.

Sobre o autor

Thomas Hahn

Filósofo de botequim, autor consagrado (por ele mesmo) de um livro, colaborador, com muita honra, desde o primeiro número do Jornal d'aqui e morador da Granja Viana desde 1973.

Blog: www.avistadobanco.wordpress.com

Deixe um comentário