Colunistas Daqui Heloísa Reis

Você conhece o MDGV ?

Escrito por Heloísa Reis

“…todos que atravancam o meu caminho,
Eles passarão … eu passarinho.”
Mário Quintana

O Movimento em Defesa da Granja Viana existe desde 2009 quando um grande grupo de moradores manifestou-se contra a derrubada de uma extensa área de mata para dar lugar a mais um empreendimento imobiliário.

Nada de novo e nem de inusitado – fato esse, aliás, corriqueiro até hoje… Mas, dessa manifestação surgiu um grupo que se organizou e se mantém unido com o objetivo de trabalhar e colocar energia na direção de uma certa qualidade de vida que a região, ainda com algum verde, pode oferecer ao morador de todos os segmentos sociais que a Granja abriga.

E tem projetos para isso. Sim, o Movimento atenta para a diversidade de nossa população e para problemas que afligem a todos. Tem se dedicado a criar oportunidades e fatos que possam trazer aos cidadãos uma certa integração comunitária tão necessária e difícil hoje em dia.

Além de promover inúmeras palestras sobre assuntos relevantes, com eminentes figuras representativas de muitos conheceres – como o saudoso Prof. Aziz Ab’Saber, e muitos outros nomes registrados em nosso site, também acompanha as reuniões do Conselho do Meio Ambiente de Cotia e Carapicuiba, e faz parte da Associação Amigos do Parque Cemucam.

Délia Costa apresentando o pensamento do MDGV em Audiência Pública em 2014

Délia Costa apresentando o pensamento do MDGV em Audiência Pública em 2014

Nessas ações o MDGV vem apresentando seu pensamento e suas propostas, enfrentando inúmeras dificuldades, mas persistindo.

Esta gestão está trabalhando intensamente com o objetivo de fomentar ações culturais que possam estimular cidades da região metropolitana oeste paulistana, que circundam a Granja, procurando potencializar sua estrutura técnica e espacial, e firmando parcerias com coletivos de produção independente em diferentes linguagens culturais e educativas.

O fato de não ter vinculações político-partidárias, nem com entidades de classe ou representativas de qualquer segmento profissional ou agremiação filantrópica faz com que o MDGV possa ser fiel à sua filosofia. Acredita que o alimento educativo/cultural é o mais urgente em todo o país. E que todas as pessoas precisam unir-se para tomar posse de sua própria cultura, criando novas formas de conviver para chegar a solucionar os problemas comuns. E acredita que para evitar a sensação de impotência frente ao pensamento fundamentalista, polarizado, hermético, vazio de argumentação, cheio da mais fechada fé, urge que sejam tomadas atitudes participativas.

Apenas o pensamento sadio, livre de compromissos escusos, voltado genuinamente para o todo – que na verdade somos todos juntos – pode provocar a guinada de rumos para a direção certa. Assim, o MDGV quer trabalhar ainda mais para a valorização da nossa gente, da importância da nossa história, da valorização de nossa sócio-geografia e quer investir cada vez mais em ações de trocas de cultura, criando parcerias com outros movimentos organizados como Transition Towns, Âncora, Oca, Acorde, São Joaquim e outras, para que, juntos possamos fazer a diferença tão necessária na região.

Detalhe de obra de Daniela Terracini de 2015

Detalhe de obra de Daniela Terracini de 2015

Para tudo isto precisa de adesões. Precisa da energia de todos.

Aqui fica então o convite e o incentivo à participação : os desejos de união no trabalho cultural e educativo para que a sociedade cresça na solidariedade, na ajuda mútua, na aceitação das diferenças – afastando-se das tendências fundamentalistas que vemos reforçadas nestes tempos – que passarão, lembrando o verso famoso de Quintana.

Nós, os passarinhos, persistimos!


Participe das reuniões mensais.
Envie um e mail para mdgv@globomail.com
Torne-se sócio com a colaboração sugerida de R$ 30,00 mensais
Caixa Econômica Federal (Banco 104)
Agência 1732
C/P 00000578-3

Sobre o autor

Heloísa Reis

Artista visual e arte-educadora, pesquisa a linguagem da arte contemporânea e sua importância enquanto instrumento de transformação. “Pinta e borda”, constrói objetos e gosta de ler e escrever. Atua em grupos como MDGV, Transition da Granja e Grupo ArteJunto procurando aprender com eles a arte de refletir a cidadania.
www.encontrosheloisareis.blogspot.com

Deixe um comentário