Colunistas Marina Camargo Tecnologia

A internet 5G vai mudar a sua vida, mas não agora

Escrito por Marina Camargo
Spoiler: Você precisará de um novo celular

Fazer um download de 10 a 20 vezes mais rápido do que você faz hoje? Com o 5G isso será possível. A quinta geração da internet móvel vem com a promessa de mudar a vida de seus usuários. A expectativa é que seja lançada na China e Coréia do Sul já no próximo ano. No Brasil, não há previsão de lançamento, mas estima-se que deve chegar em meados de 2025.

Para ocupar o lugar da atual 4G, a rede móvel 5G traz a promessa de download e upload de dados de maneira mais rápida, velocidade acima do esperado e cobertura ampla de conexão estável. A expectativa é que essa nova rede revolucione diversos mercados como o de drones, games e ajude em missões de buscas e salvamentos marítimos, além de elevar o mercado automobilístico, fazendo com que os carros autônomos do futuro conversem entre si e sem falhas.

Hoje, a média de megabit por segundo oferecido pelas redes mais rápidas em 4G é de 45Mbps. A Qualcomm, fabricante de chips, acredita que o 5G pode atingir uma velocidade ainda mais alta de navegação. Porém, para isso acontecer, novas infraestruturas em telecomunicações precisarão ser criadas no Brasil, e, com isso, o segmento de eletrônicos se movimentará, pois obrigatoriamente o consumidor precisará de um outro smartphone que suporte às novas funcionalidades.

Enquanto o fato não acontece, reguladoras mundiais observam essa movimentação com as empresas de telecomunicações, que estão a todo vapor em fase de testes com as fabricantes das principais marcas de celulares no mercado.

Novas tecnologias vêm acompanhadas por uma onda de ideias gigantes e integradas, aumentando a popularidade de aplicativos, streaming e serviços em nuvem compartilhados. O propósito por trás da rede 5G é de que ela possa aumentar o nosso poder de decisão em navegabilidade e nos disponibilize uma vida mais inteligente na metrópole.

Sobre o autor

Marina Camargo

Marina Camargo é jornalista e pós-graduanda em comunicação nas Mídias Digitais. Escreve para diversos segmentos como energia, cotidiano e moda. Atualmente é, também, do ramo da comunicação corporativa em gestão de crise e imagem institucional, fotógrafa voluntária em ONGs da capital paulista e é uma das autoras do livro Viver é um ato de revolução. Marina assina a coluna mensal de tecnologia para o Jornal d'aqui.

Deixe um comentário