Colunistas Põe Poesia e Põe Prosa Sílvia Rocha

Ao longo do caminho tinha um caminho… de haikais*

mm
Escrito por Sílvia Rocha

Foram vinte e sete anos de idas e vindas, mas prefiro dizer de ida e idas, ao Vale do Matutu, relevo ao sul de Minas Gerais, no município de Aiuruoca…

… Nessas jornadas, levava sempre cadernos, canetas e lápis. Indispensáveis. Os cadernos voltavam cheios de pensamentos, reflexões, sonhos e haikais…

 …Este livro foi editado em plena pandemia. Enquanto escrevo, o Vale está fechado para não-residentes. Acompanhados pela luta, resistência, força e fé que mantêm os vivos, vivos, sinto os haikais presentes como flores de lótus, brotando sobre o logo, em um país devastado…

 … A palavra “matutu” significa “cabeceira sagrada dos rios”, na língua dos primeiros habitantes da região; dô é caminho, em japonês…

 FOTOS DO VALE DO MATUTU por Fernando  Crivellenti

 

 

 

 

 

 

Esses são trechos da abertura do livro que acabo de lançar – Matutu do. Que reúne haikais escritos ao longo de quase três décadas frequentando o Vale que tanto amo.

 

A obra foi premiada pelo ProAC – Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo de Estado de São Paulo. No final de 2019. E estava programada para ser lançada em agosto/setembro deste ano. Juntamente com oficinas de haikais que eu conduziria em escolas e bibliotecas da capital e da região onde vivo, Granja Viana, que abrange principalmente os municípios de Cotia, Carapicuíba, Embu das Artes e Jandira.

E a epidemia da Covid-19 tornou-se pandemia. Um projeto desenhado e destinado ao modo presencial e físico de existir – livro impresso, lançado em livrarias, aulas e oficinas conduzidas também presencialmente que, de repente, inviabilizou-se em parte. Os prazos foram sendo prorrogados, os planos adiados e uma ideia – realizada – de um colega contemplado no mesmo edital que eu foi fazendo sentido dentro de mim: migrar as propostas e atividades presenciais para o ambiente virtual. A fim de viabilizar o projeto que queria vir ao mundo. Ainda que em um mundo revirado. Devastado.

A proposta foi aceita pelo ProAC. E a nova etapa implicou mais trabalho e mais intimidade com o ecossistema virtual.

Mas devo admitir que a mudança proporcionou grande aprendizado e, também, a possibilidade de maior alcance e difusão de meu fazer poético.

O livro físico Matutu do também ganhou sua versão e-livro. Com o áudio de leitura dos haikais por Cândido de Alencar Machado, artista visual e cantor, admirado e respeitado por toda a região.

https://vindouros.com.br/loja/matutu-do/

O lançamento se deu por meio do hotsite www.matutudo.com, com as informações sobre a obra, desenvolvido especialmente para a fase virtual do projeto.

E o hotsite foi integrado ao meu site literário – www.silviarocha.com.br – que foi atualizado para a ocasião.

E já que meu site estava sendo atualizado, resolvemos também passar para a versão e-livro, meu Estação haikai | Gestação haikai, editado pela É selo de língua em 2015, cuja versão impressa está esgotada.

https://vindouros.com.br/loja/estacao-haikai-gestacao-haikai/

E as aulas? As oficinas?

Escolas fechadas.

Alunas e alunos nas telas.

Nasceria, então, a videoaula Haikai: universo em três versos, gravada onde? Sim, lá mesmo, no Vale do Matutu. E que está no Youtube, para quem quiser conferir:

 Videoaula

https://www.youtube.com/watch?v=mE2csvxedrg&feature=emb_title

Então, minha filha e editora Júlia Rocha, juntamente com seu companheiro que escreveu o prólogo do livro, Gustavo Galo, convidaram-me para uma “live” sobre o livro e, honrando a natureza do haikai – que é a própria natureza – gravamos o evento em Monteiro Lobato, no alto de um morro, o Morro da Fumaça.

https://www.instagram.com/tv/CIJfiAqnMT5/

Depois, seguiu-se um lançamento na EcoFeira Granja Viana, ao ar livre, todos respeitando os protocolos exigidos na pandemia.

Sílvia Rocha lançando o livro Matutu do na EcoFeira Granja Viana, na barraca de Isabela Menezes

https://www.instagram.com/tv/CIJfiAqnMT5/

No sábado,12 de dezembro, participei de um “zoom” de lançamento do livro, juntamente com outros 6 poetas, na Feira de Poesia Desvairada de São Paulo.

https://youtu.be/_hCLVClv84U?list=PL8_ah4wqb11ZxgkHARAQH4zWhmByKMTbRl

E, para quem estiver interessado para si ou alguém que gosta de poesia, eis os passos para quem gostaria de adquirir o livro:

 

  • PARA ADQUIRIR O LIVRO MATUTU DO

 

Para adquirir Matutu do impresso:

Basta escrever um e-mail para a editora:

e.seloeditora@gmail.com

Para adquirir o e-livro Matutu do: https://vindouros.com.br/loja/matutu-do/

Para adquirir o e-livro Estação haikai | Gestação haikai (edição impressa esgotada):

   https://vindouros.com.br/loja/estacao-haikai-gestacao-haikai/

 

  • CARTÃO DE NATAL E ANO NOVO

 

* Haikais, haicais, hai-kais, haiku: micropoemas de três versos, de origem japonesa, inspirados na natureza, permeados por princípios do zen-budismo.

 

Sobre o autor

mm

Sílvia Rocha

Sílvia Rocha mora na Granja Viana desde 1994.
É graduada e mestre em Comunicação Social – Jornalismo – pela Escola de Comunicações e Artes da USP.

Pratica o haikai – micropoemas de origem japonesa, inspirados na natureza – desde 1984. Publicou a segunda edição de Estação Haikai e Gestação Haikai, pela editora É selo de língua, 2015. Ganhou o Concurso de Poesia Falada do Café das Flores e da Revista Escrita com As Quatro Estações do Ano, em 1987.

Escreve matérias, artigos e crônicas para veículos impressos e virtuais. Foi selecionada pelo Edital do ProAC 18/2019 - Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo - voltado à publicação de livros de poesia, com a obra “matutu do - por onde caminho”, um livro de haikais sobre o Vale do Matutu, que fica no sul de Minas Gerais. O livro será lançado este ano. Também trabalha no desenvolvimento de seus quadros poéticos, integrantes de seu projeto Põe Poesia.

Site: www.silviarocha.com.br

Deixe um comentário