Coletivo Isabela Menezes

Celebração de oito anos da Ecofeira – uma grande conquista de nossa região!

mm
Escrito por Isabela Menezes

Com amizade, determinação e alegria, a Ecofeira – todo domingo, todo mundo ama – aproxima produtores e consumidores, fortalecendo o produtor local, conectando os consumidores aos ciclos naturais da terra e do plantio, promovendo o consumo de quitutes e alimentos orgânicos, locais e artesanais. Com ela, nossa comunidade se fortalece!

No domingo 23 de setembro, vamos celebrar os oito anos de vida deste lugar de alegria, de encontros com pessoas amigas e de vida saudável!

Teremos a apresentação da Orquestra de Violões da Associação São Joaquim às 11 horas e sorteio de duas cestas completas com produtos de todos os expositores da EcoFeira que comprarem na feira durante o mês de Setembro.

Traga, além de suas sacolas de compras, sua cadeira ou canga para sentar-se na grama, e venha passar a manhã com boa música!

Fotos da EcoFeira: Alberto Lefevre

SERVIÇO:

EcoFesta dos oito anos da EcoFeira Granja Viana!

Domingo: 23 de setembro de 2018

Local: Parque Teresa Maia

Apresentação Musical às 11 horas
Sorteio de cestas às 12 horas

Sobre a Orquestra de Violões São Joaquim

A Orquestra de Violões São Joaquim faz parte do conjunto de atividades físicas, manuais, psicossociais, artísticas, cognitivas e de autoconhecimento oferecidas pela Associação São Joaquim de Apoio à Maturidade, entidade sem fins lucrativos criada em 2006, que tem como objetivo promover o envelhecimento ativo e saudável e a garantia dos direitos das pessoas idosas de Carapicuíba – SP.

A Orquestra foi criada em 2013, como resultado natural das aulas de violão e cavaquinho ministradas pela professora Heloiza De Lucca. O repertório é formado por músicas que tenham significado para seus integrantes e pertençam ao universo da música brasileira de raiz.

Aprender um instrumento na maturidade é um caminho de iniciação. Descobrir limites, vencer barreiras, desenvolver capacidades, superar-se a todo instante, fortalecer-se, ser compreensivo e paciente consigo mesmo e com o outro, e acima de tudo, acreditar em si mesmo. O objetivo é desenvolver a motricidade fina, memória, visão, audição e vontade. Ao tocar um instrumento, a autopercepção e a percepção do outro, assim como a aceitação dos limites e a descoberta de novas habilidades estão presentes.

Atualmente é composta por 70 integrantes divididos em dois grupos que, na sua maioria, começaram o estudo de instrumento com mais de 60 anos de idade. Já se apresentou em praças, igrejas, estações do metrô, teatros, escolas, associações, na II e III Virada da Maturidade e no Festival Lab 60+. As apresentações resultam para os idosos em um caminho de construção de autoestima e possibilidade de realização de sonhos na maturidade.

A música na São Joaquim não é um fim, mas um meio. É uma maneira prazerosa de socialização. Além de espantar a depressão e a solidão, ajuda a melhorar a respiração, a cognição, a exercitar a memória, a trabalhar a força muscular, a motricidade fina e recuperar movimentos de face, língua e deglutição. Auxilia a pessoa idosa a ampliar o autoconhecimento e a percepção do outro e possibilita descobrir capacidades e realizar sonhos.

A música tem a característica de reunir as pessoas. Portanto, o trabalho realizado vai além dos benefícios das aulas de instrumentos e coral, colaborando diretamente para a socialização, convergindo para a realização de momentos de encontro comunitário, como os ensaios comuns entre as turmas, bailes, saraus e apresentações.
Um pouco sobre a professora Heloiza de Lucca: Arte-educadora licenciada pela UNESP, com formação em Antropomúsica, Escola do Desvendar da Voz e especialização em Musicoterapia pela FMU. Professora Waldorf de Música para crianças e jovens.

Sobre a Associação São Joaquim
A Associação São Joaquim de apoio à maturidade, criada há 11 anos, é uma organização sem fins lucrativos, fundamentada na imagem antroposófica e inspirada na salutogênese. Sua metodologia visa o desenvolvimento integral do Ser humano (cabeça, coração e mãos) por meio da convivência criativa e do fortalecimento dos vínculos.

O objetivo do trabalho é oportunizar a socialização, o fortalecimento de vínculos, a inclusão, a manutenção da autonomia, a valorização e a garantia de direitos das pessoas idosas. Com isso, colaboramos para evitar o isolamento e outros riscos sociais, de forma que as pessoas longevas possam compartilhar sua sabedoria, exercer sua cidadania e atuar como força integradora no meio em que vivem.

A São Joaquim contribui com o envelhecimento ativo e saudável, atua pela garantia de direitos da pessoa idosa, seu empoderamento, protagonismo e participação nas políticas públicas, além de apoiar a causa e as ações voltadas à população 60+.

São oferecidas 44 atividades físicas, manuais, psicossociais, artísticas, cognitivas e de autoconhecimento para 320 idosos, residentes em Carapicuíba – região grande oeste de São Paulo.

Em 2018, foi contemplada com o Prêmio Culturas Populares – Leandro Gomes de Barros, promovido pela Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura com o Grupo de Folia de Reis. O trabalho social é de grande relevância para a melhoria da qualidade de vida das pessoas idosas no município, realizando em torno de 53 mil atendimentos anuais.

Para entrevistas ou outras informações falar com Alessandra Batista – Comunicação Tel.:
(11) 4186.0520 ou (11) 9-8566.6260 e-mail: desenvolvimento@saojoaquim.org.br. www.saojoaquim.org.br facebook/associacao.saojoaquim

 

Sobre o autor

mm

Isabela Menezes

Cursou Educação Gaia (www.gaiaeducation.org), baseado em currículo do GEESE (Global Educators for Sustainable Earth) que desenvolvem cursos em design e desenvolvimento de assentamentos humanos sustentáveis.
Atua com o desenvolvimento de projetos de educação para sustentabilidade e responsabilidade social pela Oficina da Sustentabilidade (www.oficinadasustentabilidade.com.br).
É articuladora e facilitadora da rede nacional do Transition Towns Brasil e uma das iniciadoras do movimento na Granja Viana – SP.

Transition Granja Viana: http://transitiontownsgranjaviana.blogspot.com.br/

Deixe um comentário