Colunistas Daqui Heloísa Reis

Como acreditar?

Escrito por Heloísa Reis

“As pessoas vivem toda a sua vida a acreditar no que os outros dizem…”
Osho

Difícil – em tempos de crise de credibilidade – acreditar em alguma coisa, se não formos ou fundamentalistas ou adeptos a radicalismos!

Para simplesmente enxergar as boas possibilidades ou as boas intenções do próximo devemos usar a liberdade no pensar e a busca de fatos reais e raciocinados… e isso dá trabalho!

Sair das armadilhas das próprias crenças recebidas pela educação, sair da própria mente, buscar novas fórmulas de avaliações, novas visões de possibilidades, entrar no campo da inovação… são tarefas hercúleas!

Especialmente neste mês de tomadas de decisões, nós eleitores conscientes da importância do nosso voto, nos deparamos com o peso da incredulidade provocada pelo ocorrido na Política nas últimas décadas.

Quem, como eu, já acreditou na capacidade do povo em gerir-se e dividir as riquezas com equanimidade também já se desencantou com o descaso e a pouca importância dada ao preparo e à educação popular na equação que visa como resultado o bem comum. Vimos, ao contrário, a ignorância e o despreparo abrindo e deixando espaço a mais preconceitos, dicotomias e objetivos de poder.

Contudo, os tempos mudam…

Há chances de novos ventos soprarem levando nossos anseios a outros rumos e outras formas do nosso ideal de gestão pública. Talvez com uma maior participação de nossa parte.

Com certeza a maioria das pessoas concorda com o fato de que quem já fez parte do poder até agora deve ceder esse espaço a outras cabeças, grupos e ideias. Democraticamente. Pessoas que nunca exerceram a Política estão agora sendo convocados a arregaçar suas mangas e a pôr sua cara à mostra… dispostos a fazer diferente.

Muitos desconhecidos estão concorrendo a essa oportunidade E a nós cabe conhecê-los, saber quem são, a que vêm e quais são suas proposições.

E que trabalho isso dá! É preciso pôr a cabeça a funcionar, discutir, ouvir outros pontos de vista, ter argumentos, ler, ouvir, falar, participar…ufa!

Abandonar preconceitos é imprescindível. Sentir que a hora é de pensar como sociedade – um único ser que somos – divididos sim em camadas sociais mas cientes da possibilidade de usarmos esta oportunidade democrática para as devidas mudança de rumos.

Focar na competência dos atores que participarão das tomadas de decisões e na possibilidade de eficiência das medidas propostas devem ser nossos propósitos na escolha. Difícil? Sim… Mas o trabalho de escolher deverá ser seguido de mais trabalho ainda – de acompanhamento, de observação, de fiscalização.

As capacidades de gestão e de formação de equipes, a descentralização do poder estatal – que vem sendo usado de forma bem discutível – a livre concorrência como regra para que as pessoas possam trabalhar livremente, a abertura de oportunidades para o empreendedorismo, deverão entrar na análise e são avaliações importantes para que a sociedade e seus cidadãos sejam livres e tenham condições de gerir-se melhor.

Enfim… mãos à obra. Participar é o verbo. Pesquisar na Internet, ter o olho nas declarações, conhecer a história pessoal de cada candidato, conversar com outras pessoas, sair do mesmismo… mas … principalmente ousar acreditar que neste 2018 podemos fazer nossas consultas, ouvir nossa própria intuição, remover enormes obstáculos e talvez assim enveredar por um outro caminho.

Sobre o autor

Heloísa Reis

Artista visual e arte-educadora, pesquisa a linguagem da arte contemporânea e sua importância enquanto instrumento de transformação. “Pinta e borda”, constrói objetos e gosta de ler e escrever. Atua em grupos como MDGV, Transition da Granja e Grupo ArteJunto procurando aprender com eles a arte de refletir a cidadania.
www.encontrosheloisareis.blogspot.com

Deixe um comentário