Educação Meio ambiente

Empoderamento de crianças

Escrito por Regina Pundek

Escrito por: Rodrigo Toyama (professor da Escola Kid’s Home)

Uma manhã de brincadeiras e risadas foi abruptamente interrompida com um triste acontecimento: O corpo de um sagui atropelado foi trazido à escola.

O ocorrido despertou uma série de emoções… tristeza, braveza, indignação, raiva. Precisamos de um bom tempo para acalmar as crianças, o que oportunizou falarmos sobre ciclos da natureza, e a relação tão delicada entre os ambientes urbanos e animais silvestres. Falamos também sobre causa e consequência: o desmatamento do terreno ao lado da escola no ano passado fez com que os animais procurassem por outros abrigos, o que aumenta o risco de atropelamentos. Como neste ano o Ensino Fundamental trabalhou no reflorestamento da área da escola (e este foi o principal projeto pedagógico de 2018), as crianças se confortaram ao perceber que sua ação beneficia o meio ambiente: Estamos trazendo os animais de volta!

Empoderadas, elas transformaram seus sentimentos em ação política. Desenvolveram cartazes para serem afixados na escola e no Assa (local onde o corpo do sagui foi encontrado). Fizeram desenhos de diversas situações, como atropelamento de animais e derrubada de árvores. Iniciaram, assim, a campanha “Não matem os animais”.

Agendamos uma reunião entre nossas crianças e a administração do Assa. A Kellen nos recebeu de maneira muito afetuosa, e respeitosamente ouviu as argumentações das crianças, que explicaram a série de ações que gostariam de fazer para alertar a comunidade sobre a presença de animais silvestres nas redondezas. Demonstrando muita segurança nesta conversa, os nossos estudantes conseguiram espaços para colar cartazes e apresentar um espetáculo teatral.

Hoje saímos da escola para colar os cartazes, e as crianças, espontaneamente, decidiram fazer um protesto, mostrando as placas aos motoristas que passavam pela rua. As emoções tomaram conta dos nossos pequenos, enquanto cantavam falas como: “Não destruam a natureza!”, “Salvem a natureza”, “Salvem os animais”, e “Salvem o mundo”, “Joguem o lixo na lixeira”. Vaiaram o terreno devastado ao lado da escola, e aplaudiram quando passaram nossos portões, já que o reflorestamento foi nossa principal ação pedagógica neste ano.

Reunimo-nos em uma praça para recolher o lixo e colar o primeiro cartaz. Por ali passavam crianças de outra escola. Atravessamos a rua e as convidamos para se unir a nós. Elas davam voltas pela árvore da praça, pulando, cantando, protestando. Felizes. Eram mais de 30 vozes que fizeram com que muitos motoristas parassem curiosos. Motoristas, motociclistas, garis, caminhoneiros, taxistas. A comunidade sorria e acolhia o protesto das crianças, apoiando sua causa.

Na sequência, afixamos os cartazes no Assa, e fomos convidados para participar de uma aula com o coral de idosos. A cantoria simbolizou a parceria que temos com essa Associação, e fortalece a certeza de que estamos no caminho certo para a construção de uma cidade educadora.

Sobre o autor

Regina Pundek

Escritora, Professora da Educação Infantil, Diretora Pedagógica,Psicopedagoga, Engenheira Civil, Educadora apaixonada pelo respeito ao Ser Humano.

Esposa, mãe, avó. Nascida em Santa Catarina e moradora da Granja Viana há 15 anos.

Deixe um comentário