Meio ambiente Metrópole

Empreendimento Reserva Raposo: As obras continuam

Escrito por Redação
Mesmo sem decisão final da justiça as obras continuam

Nos últimos meses, o Jornal d’aqui tem recebido diversas mensagens perguntando sobre o Reserva Raposo, de leitores interessados em adquirir um imóvel ou em saber se a obra já está liberada.

Desde seu lançamento, o Condomínio Reserva Raposo vem sendo alvo de polêmicas e disputas na justiça. O empreendimento localizado no km 18,5 da Rodovia Raposo Tavares, quando estiver totalmente concluído vai abrigar cerca de 60 mil pessoas. Com o tamanho da obra as cidades vizinhas se alarmaram por conta dos possíveis impactos ambientais e no trânsito da rodovia.

Em 2016, o então vereador de Cotia, Luís Gustavo Napolitano, lançou uma petição pública contra o mega-condomínio e suas consequências no município. Em fevereiro deste ano a obra foi suspensa porque a justiça anulou a licença do empreendimento. Osasco entrou na disputa com São Paulo por parte do terreno de 450 mil metros quadrados e também por compensações pelos danos causados ao meio ambiente e ao trânsito da cidade.

Segundo Jossiane Saldanha, consultora de imóveis do condomínio, as obras foram retomadas há dois meses e as máquinas já estão fazendo a terraplanagem. A previsão de entrega da primeira fase é de 36 a 42 meses. “Já está tudo resolvido na justiça. Os impactos no trânsito da Raposo serão minimizados porque haverão outras saídas por Osasco, por exemplo”.

Na página das redes sociais do Reserva é possível ver fotos e vídeos com projetos para alargar avenidas e construir viadutos para melhorar o trânsito na região. As visitas ao estande de vendas, assim como as obras, seguem normalmente.

Luciana Feldman, assessora do vereador de São Paulo Gilberto Natalini, do Partido Verde, que no ano passado entrou com uma ação popular na 11ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo questionando a licença ambiental da construção, contou como está o processo. “Ocorre que em sede recursal, o empreendimento requereu efeito suspensivo da liminar até o julgamento do mérito do processo, ou seja, solicitou ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) que autorizasse a continuidade das obras até a decisão final”.

Com este pedido acatado pelo TJSP, a liminar continua existindo, mas, com efeito suspensivo, sendo assim, o condomínio pode continuar com as obras até a decisão final da justiça. Que vai definir se o licenciamento ambiental é ou não ilegal.

Ainda de acordo com a assessoria do vereador, o processo está em fase de instrução.

Por Danúbia Martins para o Jornal d’aqui

Foto: divulgação

Leia também: … o outro lado da questão, publicado em abril de 2018

Justiça anula licença …, publicado em fevereiro de 2018

E os inúmeros comentários dos leitores na Petição Pública, publicado em junho de 2016.

Sobre o autor

Redação

O Jornal d'aqui digital é uma prestadora de serviços que atua com comunicação na região da Granja Viana, Cotia (SP). Nasceu originalmente em 1979 como mídia impressa e assim atuou durante 35 anos. O formato atual surgiu a partir de um movimento de amigos/leitores inconformados com o encerramento de suas publicações.

Deixe um comentário