Cinema Colunistas Délia Costa

Novidades da Semana

Escrito por Délia Costa

Petra Belas Artes à la Carte nos informa as novidades para esta semana!

Um filme recente da Macedônia: Deus é Mulher e Seu Nome É Petúnia”(2019), uma joia rara vinda da Macedônia, com direção da talentosa Teona Strugar Mitevska ; “Juventude Nua”(1960), do mestre japonês Nagisa Oshima; Gaviões e Passarinhos”(1966), um dos filmes mais geniais do italiano Pier Paolo Pasolini; e “Stop Making Sense”(1984) da banda americana Talking Heads ”

Escolha o seu filme e assista pela internet.

JUVENTUDE NUA (Seishun Zankoku Monogatari)

“Juventude Nua” (Japão, 1960) é o segundo longa do diretor japonês Nagisa Oshima (1932–2013), o mesmo do polêmico e escandaloso “Império dos Sentidos”(1976). O filme é também o primeiro de uma trilogia que Oshima realizou para a produtora Shochiku, projeto que acabaria provocando o seu rompimento com a companhia. A talentosa atriz principal, Miyuki Kuwano, é filha de outra importante atriz japonesa, Michiko Kuwano, que trabalhou com importantes diretores, como Ozu e Mizoguchi, e faleceu muito jovem.

Trailer:

Sinopse:
No Japão em 1960, o estudante universitário irrequieto Kyoshi seduz a bonita adolescente Makoto e rapidamente a convence a fazer parte de um esquema obscuro e cruel, tanto para conseguir dinheiro fácil como para afastar o tédio.

Ficha Técnica:
Japão, 1960, cor, 96 min., drama, idioma: japonês (legendado), 14 anos.
Título em inglês: Cruel Story of Youth
Direção: Nagisa Oshima
Elenco: Miyuki Kuwano, Yûsuke Kawazu e Yoshiko Kuga.

 

DEUS É MULHER E SEU NOME É PETÚNIA  Gospod postoi, imeto i’ e Petrunija)

“Deus é Mulher e Seu Nome é Petúnia”(Macedônia, 2019), de Teona Strugar Mitevska, é inspirado em um evento verídico, uma tradição da Macedônia, reservada apenas aos homens, que ocorre sempre no dia 19 de janeiro, no feriado do batismo de Cristo, quando uma cruz é atirada em um rio e aquele que conseguir resgatá-la terá um ano inteiro de sorte e prosperidade. Premiada no Festival de Berlim, esta é a estreia da protagonista Zorica Nusheva no cinema. Dos mesmos produtores de “Elle”(2016), de Paul Verhoeven, e “O Homem que Matou Dom Quixote”(2018), de Terry Gilliam.

Sinopse:
Em Stip, uma pequena cidade da Macedônia, sempre no mês de janeiro o padre local joga uma cruz de madeira no rio e centenas de homens mergulham atrás dela. Quem recuperar o objeto tem garantia de boa sorte e prosperidade. Desta vez, Petúnia mergulha na água por um capricho e consegue agarrar a cruz antes dos outros, deixando os concorrentes furiosos: ‘como ousa uma mulher participar do ritual’? Todo o inferno se abre, mas Petúnia mantém o seu chão. Ela ganhou a cruz e não vai desistir.

Trailer:

Ficha Técnica:
drama, idioma: macedônio (legendado), 14 anos.
Direção: Teona Strugar Mitevska
Elenco: Zorica Nusheva, Labina Mitevska e Simeon Moni Damevski.

 

GAVIÕES E PASSARINHOS  (Uccellacci e Uccellini)

“Gaviões e Passarinhos”(Itália, 1966) é o filme mais leve e humorado do mestre Pier Paolo Pasolini(1922–1975) e traz como protagonista um dos maiores nomes do cinema italiano de todos os tempos: o genial ator e comediante Totò(1898–1967), numa atuação que deu a ele a Menção Honrosa no Festival de Cannes. De maneira surreal, a obra une humor, irreverência e discussões filosóficas, com a típica provocação inteligente do mestre Pasolini.

Trailer:

Sinopse:
Innocenti Totò e seu filho Innocenti Ninetto estão à deriva em uma estrada na Itália. No meio do caminho, eles encontram um corvo que pode falar. O trio segue então uma longa viagem, cheios de discussões que debatem a ideologia do socialismo.

Ficha Técnica:
Itália, 1966, 89 min., p/b, comédia, idioma: italiano (legendado), 12 anos.
Direção: Pier Paolo Pasolini
Elenco: Totò, Ninetto Davoli e Femi Benussi.

 

STOP MAKING SENSE (Stop Making Sense)

“Stop Making Sense”(EUA, 1984), do diretor vencedor do Oscar Jonathan Demme, é um registro antológico do show homônimo da banda americana Talking Heads, realizado no Hollywood Pantages Theatre, em 1983, com repertório que inclui grandes sucessos como “Psycho Killer”, “Take Me to the River” e “Once in a Lifetime”, além de performance do Tom Tom Club, grupo de new wave formado pela dupla Tina Weymouth e Chris Frantz, que também eram membros dos Talking Heads, criadores do famoso hit “Genius of Love”.

Sinopse:
Talking Heads durante um show no Hollywood Pantages Theatre, em 1983. O grupo toca sucessos como “Psycho Killer”, “Take Me to the River” e “Once in a Lifetime”.

Trailer:

Ficha Técnica:
EUA, 1984, cor, 88 min., musical, idioma: inglês (legendado), livre.
Direção: Jonathan Demme
Elenco: David Byrne, Tina Weymouth, Bernie Worrell e Lynn Marby.

 

Sobre o autor

Délia Costa

Paulistana da gema, engenheira, amante do cinema.

Nos tempos de faculdade, fez parte do Cine Clube Frango Areia e Farofa carregando projetores, rolos de filmes e fazendo, sem muito sucesso, faixas e cartazes de divulgação (fez uma inusitada faixa de cabeça-para-baixo!).

De engenheira a professora, fundadora do MDGV - Movimento em Defesa da Granja Viana e criadora do Cine Libélula, cineclube da Granja Viana (2013 e 2014), um dos geradores desta coluna.
“Provocações" quer desafiar as pessoas a pensar, assistir filmes, ler livros, ir a peças de teatro, consertos, exposições.

"Provocações" é também uma homenagem ao querido Antônio Abujamra e seu programa na TV Cultura.

Deixe um comentário