Arte Colunistas Solange Viana

Rocketman chega em 30 de maio nos cinemas

Escrito por Solange Viana

Prepare o lenço. É até meio óbvio alertar sobre isso, quando se trata de uma cinebiografia de um dos maiores ídolos da música pop. Ver e ouvir a história de Elton John nas telas, por mais que possa parecer piegas, é a melhor pedida para quem gosta de suas músicas. É uma delícia. Você se emociona o tempo todo, além de querer dançar e cantar todas as músicas, sim, to-das, pois, se você tiver mais que 40 anos, com certeza você já ouviu algumas delas, já que na sua maioria foram sucesso de arrombar quarteirão.

É uma volta no tempo. É um personagem/cantor perfeito para uma boa história cinematográfica. Com direito a tudo: sexo, drogas e rock’n’roll. Com direção de Dexter Fletcher, (o mesmo que dirigiu o final de Bohemian Rhaphsody, quando o diretor anterior foi demitido) o filme tem altos e baixos, umas partes que ao meu ver, são bem desnecessárias. Mas nada que comprometa e faça você querer abandonar a sala.

Segue a linha do tempo, voltando, em alguns momentos para o presente, a terapia. Começando com ele, gordinho, tímido, então com uns 10 anos. A descoberta pelo piano. A facilidade de decorar uma partitura, ou de compor uma melodia. Estudar. Estudar, e estudar. O  conservatório, sendo bolsista da Royal Academy, de Londres. Com um pai super autoritário e desprovido de emoções. A mãe, totalmente desencanada, com amante e posterior padrasto. O encontro com seu parceiro de vida, Bernie Taupin, interpretado por Jamie Bell, quem escreve as letras de todos os sucessos de Elton. Muito gostosa, por sinal, a amizade e cumplicidade desses dois, tão importante para o sucesso da carreira do cantor. A procura deles por investidores. É interessante observar um dos produtores chefões recusar músicas que foram um tremendo sucesso depois. É emocionante ver o momento de criação de uma música, que será um estouro. Aí você pensa: opa! Às vezes é bom tentar mais um pouco. Ouvir outras opiniões. Mostra bem como é importante ser persistente e acreditar no seu talento. O filme conta a relação fraudulenta de seu segundo produtor, que ataca de marido (Richard Madden), com cenas fortes entre os dois.

Enfim, pegue sua pipoca, ou o que preferir e vá se emocionar nesta história contagiante que todos já sabem o final: o mocinho não morre e é feliz com sua nova família. Vale o ingresso.

 

ASSISTA AO TRAILER OFICIAL:
https://www.youtube.com/watch?v=z7jSOLxCjhc&feature=youtu.be

Sobre o autor

Solange Viana

Solange Viana é jornalista e galerista. Mora na Granja Viana há 12 anos. Possui uma microempresa de Assessoria de Imprensa & Comunição, especializada em cultura com destaque nas áreas de artes plásticas, cinema, arquitetura e design. Há 5 anos inaugurou um espaço dedicado a cultura na Granja, a Galeria de Arte e Fotografia Solange Viana, que tem como um dos objetivos principais, mostrar a arte dos moradores daqui.

http://galeriadearteefotografiasolangeviana.blogspot.com

Deixe um comentário