Carina Lima Colunistas Crônica

Sem Rumo

Escrito por Carina Lima

É como se estivéssemos no meio de uma ilha com várias setas apontadas, cada uma diz uma direção e isso só faz com que fiquemos mais confusos, é assim que sentimos.

A todo instante as coisas parecem estar sempre mudando, na verdade acredito que mudem mesmo e parecemos não acompanhar, parece que estamos apenas olhando tudo passar.

Expectativas, medos, vontades e o querer ir pelo coração, quer uma sinuca de bico maior que essa? Sempre ouvimos que não podemos criar expectativas, mas e quando a expectativa está com o outro e conosco?

Tem pessoas que acreditam tanto em nós que passamos a criar uma fantasia/expectativa sobre algo, que às vezes nem queremos tanto. Os medos aterrorizam a todos, mas como lidar com eles?

Temos que usá-los a nosso favor, podemos utilizá-los como trampolim/gás para ir atrás de algo, afinal junto com o medo vem um friozinho bom e em sua maior parte do tempo faz com que o ganho pareça melhor.

Temos vontades que até nós duvidamos, mas junto delas vem o medo ruim e nos faz colocar o pé no freio, pensar no que queremos ou não, no risco e quando vamos ver, já desistimos.

Ser feliz ou ter razão? Melhor e mais verdadeiro questionamento, se só seguir o coração dodinheiro, só teríamos pessoas felizes no mundo e os invejosos não teriam utilidade.

Muitos dizem que queremos decidir nossa vida quando fazemos 18, outras aos 25, há quem diga aos 30 e por aí vai; particularmente acredito que a todo instante estamos nos questionando sobre o que é certo ou não, se devemos seguir o coração ou uma dica de alguém experiente e com uma vida mais bem-sucedida.

Ouvimos que nossos sonhos não vão dar dinheiro e que precisamos pensar primeiro no dinheiro, ouvimos que sonhar não enche barriga, que o certo é uma faculdade, pós, inglês e por aí vai.

No final de tudo, acabamos ouvindo que devemos escolher tanto o que o outro diz, que acabamos sendo adultos frustrados e que vão acabar colocando a expectativa que colocaram em nós, nos nossos filhos, criando assim um ciclo vicioso.

Afinal para onde devemos seguir? Até qual idade vale o risco? Por mais difícil que pareçam as coisas, devemos colocar parte das pessoas sem sentido que opinam no mute, pois seguindo o coração, a razão ou nossa própria vontade é o melhor caminho, pode ser que dê tudo errado e que tenhamos que começar do zero de novo, mas enquanto estivermos tentando, seremos nós, e a cada tropeço um aprendizado é ganho e mais capazes somos!

Sobre o autor

Carina Lima

Carina Lima, 25 anos, trabalha como assistente administrativa e escreve por sentir que a escrita sempre foi sua melhor amiga. Hoje em dia, com a necessidade de ajudar o próximo, resolveu que esse era o momento de fazer a diferença na vida das pessoas e porque não pelo meio que sempre a ajudou?

Escreve na página do insta @littlebee_think

1 Comentário

Deixe um comentário